Mostrando postagens com marcador Sadismo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Sadismo. Mostrar todas as postagens

A Centopeia Humana (2009), 2 (2011) e 3 (2015)


A Centopeia Humana (2009)

Outros títulos: The Human Centipede (EUA)
Diretor: Tom Six
Duração: 92 Minutos
País de origem: Países Baixos (Holanda)
Áudio: Inglês | Legenda: Português

Sinopse: Duas jovens estão em viagem quando seu carro quebra numa floresta deserta. Elas buscam ajuda e encontram a casa de um cirurgião de renome internacional e especialista em separações de gêmeos siameses, mas logo elas descobrem que ele pretende juntá-las num só corpo para criar uma centopéia humana.

De acordo com o (cinegnose, 2011), O homem e a humanidade retrocedida à forma de centopeia! E o que é mais radical: não há mais uma hermenêutica, mas uma reversibilidade irônica do Mal: tudo é levado a cabo justamente por instrumentos resultantes da evolução humana: a Ciência, a Razão e a Técnica.
Uma produção com orçamento baixíssimo e filmada em vídeo digital, mas com um tema talvez inédito no gênero terror (o Inumano). Dessa maneira, o filme entra para o hall de filmes “sadianos” como “Saló – 120 Dias de Sodoma” de Pasolini. E por que não utilizar a palavra “sádico”?
O libertino não é um louco, possesso ou demoníaco. Tal como o Dr. Heiter no filme, ele é frio, dominado pelo cálculo científico. Capaz de fazer uma apresentação didática para as suas vítimas, como se estivesse aculturando os selvagens, trazendo a luz da ciência para a humanidade idiota.
No 1º filme, um cirurgião alemão (Dr. Heiter) no melhor estilo: "oficial nazista sádico" (perfeitamente caracterizado pelo ator Dieter Laser).... sequestra 2 garotas americanas e um jovem asiático pra uma experiência aterradora: interligar os 3 por um único aparelho digestivo - costurando a boca de um no ânus do outro (assim, o 1º se alimenta e os demais ingerem suas fezes). A ideia em si chocou meio mundo quando apresentada em 2009 (sendo o filme proibido em diversos países). Mas os fãs de terror gore reclamaram que muito do filme era apenas subjetivo (ficando pra imaginação do espectador). Assim, o diretor chutou o balde de vez na parte 2... Uma ideia genial (sendo uma sequência bem criativa - se comparada com a mesmice das sequências repetitivas de filmes americanos tipo: "Jogos Mortais"). Na "Centopéia 2", um vigia (Martin) de estacionamento é fanático pelo 1º filme (já q a parte 2 considera o 1º apenas um filme) e resolve repetir na "vida real" o experimento feito na parte 1. Só q o maluco agora não é cirurgião, e resolve "emendar" as pessoas pregando suas bocas no rabo das outras usando um grampeador mesmo. Ele também almeja superar o "Dr. Heiter" (seu ídolo) unindo agora 12 pessoas. As cenas são brutais, e o que ficava apenas subjetivo no 1º agora é explícito no 2º: pessoas ingerindo merda, torturas chocantes (dentes sendo extraídos à marteladas) e a cena de estupro mais brutal da história do cinema: o maluco resolve fazer sexo com a sua "Centopéia" enrolando um "arame farpado" (!) no próprio pinto!!! E isso é só uma pequena parte de um filme q pra muitos espectadores será uma verdadeira sessão de tortura assistir até o fim (submundo-hq, 2012).
↓ ASSISTIR ABAIXO  | FILMOW | VK (A Centopeia humana 1) 


A Centopeia Humana 2 (2011)

Diretor: Tom Six
Duração: 88 Minutos
País de origem: Holanda
Áudio: Inglês | Legenda: Português

Sinopse: Escrito e dirigido novamente por Six, a sequência foca em Martin, um homem solitário e mentalmente perturbado que mora com sua mãe e trabalha como guarda noturno em uma estacionamento-garagem no subsolo. Para escapar de sua triste existência, Martin se perde na fantasia do filme de terror cult A Centopéia Humana, fantasiando com as meticulosas habilidades cirúrgicas do Dr. Heiter, cujo conhecimento do sistema gastrointestinal inspira Martin a praticar o impensável.

Como já havia comentado lá em cima sobre o Martin, não vou repetir, Tom Six escreveu e dirigiu essa sequela, que, em de junho de 2011, o BBFC recusou com um certificado no Reino Unido proibindo o lançamento no cinema ou DVD. Mas, percebendo que seria um esforço atoa (porra a gente tem internet sabia), com a grande quantidade de pressão contra a censura, o BBFC concedeu o certificado de filme em outubro com 2 minutos e 37 segundos de cortes.
Cada vez mais popular, o Shock Cinema combina pornografia com ultra-violência, e o segundo filme junta esse sub-gênero ao lado de filmes como A Serbian Film (tem aqui) e Anticristo.
Harvey faz excelente trabalho em seu papel como um Martin lamentável executando uma performance perturbadora e aterrorizante, apesar de não ter muito diálogo.
A Centopeia Humana 2 não tem humor negro e originalidade de seu antecessor, e para alguns que preferem a linha do primeiro, pode parecer um trabalho tedioso através da depravação e perversão (para outros é bem melhor). O filme deixa muitos no mínimo desconfortável, pessoalmente falando, a única cena a qual me deixou realmente desconfortável, foi an parte a qual a mulher entra em trabalho de parto no carro e precisa dar a partida, então PISA no recém-nascido pra acelerar, pqp, mas não cria suspense. O ritmo é lento, embora se redima nos últimos 20 min. Os fãs obstinados ao cinema extremo, trash e gore irão gostar!
↓ ASSISTIR ABAIXO  | FILMOW | VK (A Centopeia Humana 2)


A Centopeia Humana 3 (2015)

Diretor: Tom Six
Duração:  102 Minutos
País de origem: EUA
Áudio: Inglês | Legenda: Português

"Bill Boss (Dieter Laser), diretor de um grande complexo carcerário estadual nos EUA, tem vários problemas: sua prisão tem estaticamente o maior número de revoltas, custos médicos e troca de funcionários no país. Mas ele não consegue o respeito que acha que merece de seus prisioneiros e do governador do estado (Eric Roberts). Ele falha constantemente ao procurar novas ideias para as punições ideais para colocar os detentos na linha, que o leva, junto ao calor infernal, a enlouquecer. Com o local sob ameaça de fechamento do governo estadual, seu braço-direito Dwight (Laurence R. Harvey) tem uma brilhante ideia. Uma ideia revolucionária que poderá salvar o sistema carcerário americano e economizar bilhões de dólares. Uma ideia baseada nos filmes Centopeia Humana, que vai colocar os presos de joelhos - figurativamente e literalmente -, criando a punição derradeira para quer considera uma vida de crimes. Sem nada a perder, Bill e Dwight criam uma embasbacante centopeia de 500 pessoas."
KKKKKKKKKKKKKK isso é o resumo de Centopeia Humana 3. Tchau.
Sim, temos "Dr. Heiter " e "Martin" no terceiro filme em um horror horrível e engraçado, com gritos incessantes e insípidos de Dieter Laser com uma atuação bem ruim de Laurence Harvey. Os dois primeiros filmes foram polêmicos e desconfortáveis de assistir. Perturbadores e, em muitos aspéctos, únicos. Essa última foi apenas irritante. Não choca e sobre a centopeia, quando aconteceu não vou dizer.

MAAAAS, após um comentário no filmow, comecei a ver um filme ruim de um outro ângulo também. Nina (2018): Se pararem pra notar, o carinha que mora logo ali no foço da loucura, mais conhecido como Tom 6 (Six) realizou três filmes utilizando de três elementos dos filmes de terror:
Em Centopeia Humana 1: Nos foi apresentado o suspense;
Em Centopeia Humana 2: O gore extremo;
Em Centopeia Humana 3: O terrir (ou trash).
E de certa forma, se você levar o ver como trash e não buscando os elementos que os outros dois tinham, muito provavelmente vá gostar, porque a função desse terceiro é realmente satirizar a franquia em si, tanto que (SPOILER ----------------- )  é o filme dentro do filme dentro do filme e até o próprio Tom faz aquela pontinha. Assim, podendo ir na direção do divertimento.
↓ ASSISTIR ABAIXO  | FILMOW | VK (A Centopeia Humana 3)

Scrapbook (2000)

Dirigido por: Eric Stanze
Duração: 95 minutos
País de Origem: EUA
Áudio:  Inglês | Legenda: Português

Sinopse: Uma jovem mulher é sequestrada por um psicopata chamado Leonard, que obriga suas vitimas a escrever em um diário, relatando seus dias de sofrimento e tortura.

O filme em sí é bem angustiante, já começa com sensação de medo pela vítima. Depois, a câmera mostra como se estivesse gravando de modo caseiro e, ao olhar da vítima, o garotinho, aliás o filme inteiro quis da essa impressão. Na cena mostra uma erotização da garota, mais para um assédio sexual com Leo, ao qual ela diz "vem aqui, ouça a sua irmã mais velha", mas não mostra o mesmo. E logo chega outro mais velho com uma garrafa na mão claramente alterado dizendo "eu disse para nunca foder nossa irmã" colocando a violência e a culpa contra o menino, estuprando o mesmo... Acompanhado de uma música e clima bastante triste. Então começa o roteiro com a vítima principal.

Subconscious Cruelty (1999)

Diretor: Karim Hussain
Duração: 92 minutos
País de origem: Canadá
Áudio: Inglês | Legenda: Português

Insano.
Sinopse: Filme blasfemo, surreal e atmosférico, uma viagem aos abismos da mente. Imagens dilacerantes, assassinatos de recém-nascidos, sacrifícios, canibalismo, perversão sexual explícita, tudo saído direto da mente de um canadense insano (o diretor Karim Hussain), que fez um dos longas mais brilhantes e polêmicos de todos os tempos. Se for puritano ou gestante nem continue.

Snuff 102 (2007)

Outros títulos: Снафф 102
Diretor: Mariano Peralta
Duração: 105 minutos
País de origem: Argentina
Áudio: Espanhol | Legenda: Português

Sinopse: Uma jovem repórter começa a desvendar os segredos de um mito pouco conhecido... Filmes Snuffs. Logo ela cai em uma terrível espiral de imagens chocantes. A partir daí começa uma investigação sobre filmes snuffs e para o verdadeiro significado da violência.

Cinematograficamente falando, o maior mérito de "Snuff 102", um filme de baixíssimo orçamento e que talvez justamente por isso beire uma espécie de crueza amadora que acaba por se tornar seu estilo, está no uso surpreendentemente criativo de certos recursos narrativos como a alternância entre os takes em cores e P&B, o uso pontual de sequências em câmera lenta e a eficiente iluminação.  A trilha sonora também não deixa a desejar no que diz respeito a conferir eficiente climatização para a obra. 

Inner Depravity Vol. 1 e 2 (2005)

Diretor: Remy Couture
Duração: 10 minutos
País de origem: Canadá
Áudio: Inglês | Legenda: Indisponível

Sinopse: Inner Depravity é um curta metragem em dois volumes, aproximadamente 10 minutos cada, é repleto de horror e insanidade, onde acontece crimes sangrentos de forma nojenta doentia, envolvendo principalmente mulheres, em cenas chocantes de necrofilia. O artista canadense Remy Couture criador desse curta metragem já foi preso e ainda está sofrendo a um processo por "corrupção moral" devido a sua arte ser tão real e explicita. 

August Underground's Penance (2007)

Diretor: Fred Vogel
Duração: 84 minutos
País de origem: EUA
Áudio: Inglês | Legenda: Indisponível

 Sequência: Aaugust Underground (2001) | August Underground's Mordum (2003)
Sinopse: O terceiro e último filme da franquia AU Dirigido por Fred Vogel e Cristie Starring "Crusty" Whiles. "Penance" mostra o declínio sombrio dos dois assassinos sem nome dos filmes anteriores, que continuem a filmar suas loucuras em seus caminhos para a destruição.

Ousadia, sangue, vísceras, intestinos, unhas na cabeça, estripação, queimaduras de cigarro, serragem de membros e cabeças sendo abertas de presente de natal! Aprendemos também que os intestinos de porcos utilizados foram de verdade, deixando os atores enjoados! Esses pobres psicopatas realmente vomitaram quase constantemente durante a gravação.

Conto: O bizarro caso de Moacyr e Xainã

https://br.pinterest.com/pin/603200943818022230/Uma autoria de Capricornus Cruentum ©
     Para alguns pode ser uma leitura inapropriada, palavras agressivas, politicamente incorreto e sádico! Prossiga, mas não diga que não avisei... 

Quando uma guriazinha nasce seus pais tentam dar o melhor de si para que seja bem cuidada e tenha proteção perto de quem a ama. Não foi o caso de Xainã, nasceu desnutrida pois sua mãe em depressão não se alimentava, todas as noites sua mãe Moacyr grávida, saia pelas florestas próximas atrás de sua casa para matar animais, era como aliviava sua dor, apanhava animais domésticos ou não, como caititus, antas, pacas, veados entre outros, o primeiro que encontrasse e estripava-os, amarrando em sua barriga a imaginar que fosse os de sua filha saindo por todos os buracos, apertava até se partir em sua barriga.
Pai de Xainã vendo a situação não fazia nada para melhorar.
Quando Xainã nasceu, Moacyr sofreu ainda mais com a depressão pós parto e se suicidou para não matar sua filha. Sendo assim seu pai, pegou Xainã e foi pra bem longe. Morando por anos isolados do mundo, numa floresta que parecia estar morta.

Schramm: Into the Mind of a Serial Killer (1994)


Outros títulos:  Na Mente de um Serial Killer
Diretor: Jörg Buttgereit
Duração: 70 minutos
Países de Origem: Alemanha / França
Áudio: Alemão | Legenda: Português

Sinopse: Schramm, é um catálogo de perversões sexuais e mentais, bem representativas do universo fantasmagórico de Buttgereit (Mesmo diretor de Nekromantik). Quando convida alguns dos seus passageiros, criteriosamente selecionados, para beber um copo a coisa piora. Schramm é um “serial killer” para quem os convidados são a matéria-prima para as suas fantasias de psicopatas.

School of the Holy Beast (1974)

Outros títulos: Seijû gakuen |
Escola da Besta Sagrada | 聖獣学園
Diretor: Noribumi Suzuki
Duração: 91 minutos
País de origem: Japão
Áudio: Japonês | Legenda: Português

Sinopse: A jovem e decidida Mayumi entra para o Convento de St. Clores a fim de elucidar todo o mistério por trás da morte de sua mãe, uma antiga freira do local. Atividades nada condizentes com as normas da igreja tem lugar no convento e a garota logo se verá em apuros neste antro de perdição.

Os filmes semi-eróticos produzidos no Japão na década de 70 representaram uma revolução dentro da indústria cinematográfica daquele país, que na época era dominada pelos estúdios Nikkatsu e Toei. O sub-gênero é conhecido entre os entendidos como "Pink-eiga" ou "Pink Films" (filmes cor-de-rosa), devido à quantidade de nudez presente nestes trabalhos, fossem eles associados ao gênero policial, ao drama ou ao horror. O termo pornografia chegou a ser erroneamente usado por alguns estúdios para designar seus filmes, que no entanto jamais ultrapassaram as fronteiras do softcore por causa das barreiras impostas pela censura japonesa há até relativamente pouco tempo. Resumidamente, elas proibiam qualquer cena em que aparecesse nu frontal, genitais ou mesmo pelos pubianos. Fora isso, as histórias só dependiam mesmo da imaginação e do estilo de cada cineasta.

Saló - Os 120 dias de Sodoma (1975)

Títulos: Salò o le 120 giornate di Sodoma (Original)
Salò, or the 120 Days of Sodom (Estados Unidos da América)
Dirigido por: Pier Paolo Pasolini
Duração: 116 minutos
País de origem: Itália
Áudio: Italiano | Legenda: Português

Sinopse: Passa-se na Itália controlada pelos nazistas, onde quatro libertários fascistas seqüestram 16 jovens e os aprisionam em uma mansão com guardas. A partir daí, eles passam a ser usados como fonte de prazer, masoquismo e morte.  Pasolini foi um dos grandes cineastas italianos. Salo, por mais bizarro que possa ser em sua distopia escatológica, está munido de um conteúdo "diferente". É inspirado na obra "120 Dias de Sodoma", do Marques de Sade, na qual a natureza humana é levada a abismos extremos. Pasolini bebeu dessa perversidade da obra e a transportou, metaforicamente, do micro para o macro pois, no século XX, nada ilustrou melhor a perversidade humana do que os regimes totalitários de Hitler e Mussolini, o cineasta imprimiu analogicamente a perversidade criada pelo Marques de Sade, nos regimes Nazi-fascistas. É simplesmente único, uma obra prima ousada da Sétima Arte.