Votação encerrada, o próximo filme será Grotesque! (Resultado) Os outros que ficaram em segundo também podem serem postados. Siga a gente! Os filmes tem limite de visualização mensal, se não consegue ver tenta o próximo mês. IMPORTANTE ⚠️ CAPRICORNUS contém alguns filmes raros, que tiveram legenda sincronizada, outros traduções para o português, enfim deu trabalho pra tá aqui porra! Então vai roubar conteúdo da puta que te pariu sem dar os creditos.

Holocausto Canibal (1980)

Diretor: Ruggero Deodato
Duração: 95 minutos
País de origem: Itália 
Áudio: Inglês  | Legenda: Português

Sinopse; Professor da Universidade de Nova York sai em expedição à Amazônia em busca de quatro jovens documentaristas que desapareceram durante uma filmagem. Lá chegando, ele descobre que os cineastas foram mortos por canibais, mas consegue recuperar os rolos de filme gravados por eles. De volta aos Estados Unidos, estas filmagens revelam os horrores que os documentaristas passaram nas mãos de canibais. 

O filme começa com um jornalista dizendo:
“O homem é onipotente. Para ele, nada parece impossível. (...) Hoje, estamos pensando em conquistar toda a galáxia. E num amanhã não muito distante estaremos considerando a conquista de todo o universo. Mesmo assim, o Homem parece ignorar fatos em seu próprio planeta, como que ainda há gente vivendo na idade da pedra e praticando canibalismo, ilhados em um meio ambiente brutal onde prevalece a lei do mais forte...”
Isso serve para introduzir a notícia principal sobre quatro “pobres jovens americanos da era espacial, armados apenas com suas câmeras e curiosidade” que foram até o inferno verde para fazer um documentário sobre essa vida.
Uma reportagem bastante comum, pra falar a verdade, sobre jovens que queriam apenas se divertir, mas nunca voltaram da jornada. Mostram-se suas belas fotos na tv, uma gravação de momentos antes de começar a aventura (sempre exaltando seus espíritos joviais e destemidos) e fazem aquela dramatização básica, como se fossem pessoas inocentes que nunca fizeram mal algum pra sociedade.
Portanto, acreditamos que os jovens são bons e só estavam em busca de novas aventuras - até encontrar suas gravações...
O primeiro contato dos indígenas já é marcado por extrema brutalidade. Eles invadem a aldeia como se estivessem em suas próprias casas, assustando a tribo. Atiram em um porco, sem motivo para mostrar a força de sua arma e consequentemente mostrar que são mais fortes. Como eles mesmos dizem: “Na selva, é a violência diária do mais forte contra o mais fraco!”
O sentimento de poder faz com que as pessoas sintam-se no direito de fazer aquilo que querem, até mesmo matar. No filme vemos os “pobres jovens” estuprando uma “índia não civilizada” e até mesmo colocando vários índios em uma oca e logo depois ateando fogo - por quê? Porque queriam um bom filme... (detalhe: depois eles ainda fodem em cima dos restos da oca).
Podemos ver isso até como uma crítica a própria mídia. Em boa parte do filme os jovens são tratados como heróis desbravadores que foram mortos por índios canibais, entretanto quando olhamos a verdade sobre eles, os pobres jovens se transformam em sádicos. 
[…]
Uma das primeiras gravações dos jovens que nos é mostrada é a famosa, e polêmica, cena da tartaruga. Pra você que não sabe nada sobre, é o seguinte: todas as mortes de animais no filme são reais. Na cena em questão, os jovens capturam e matam uma tartaruga gigante para ser utilizada como refeição. É uma sequencia nem um pouco legal de assistir, pois nela vemos o casco sendo quebrado e todos seus órgãos expostos. Ademais, mesmo depois de arrancar a cabeça com uma machadada seus membros continuam mexendo e coisas bizarras assim.
[…]
Apesar das piores partes serem a morte dos animais, as cenas de canibalismo, rituais, empalamento também não são nem um pouco agradáveis.
O realismo do filme é algo impressionante, claro, não a ponto de acreditarmos que estamos vendo gravações reais, mas é bastante convincente ainda pros dias de hoje. Pra época, imagino que ele tenha sido ainda mais chocante.
É até possível entender por que o diretor teve que provar à polícia que os atores estavam vivos. 
A trilha sonora também se destaca, consegue deixar as cenas ainda piores de serem assistidas.
Enfim.
“Cannibal” é um clássico que, apesar de tudo, merece ser assistido se você não se importa em ser chocado. Apesar da polêmica, é um filme que não se sustenta apenas nisso, tendo discussões que poderíamos ficar dias falando a respeito. 
créditos do comentário:  cafecomtripas

Curiosidade: um filme snuff - subgênero de filmes que mostram mortes, assassinatos e suicídios reais. O diretor foi julgado e inocentado após provar aos tribunais que os atores, supostamente mortos, estavam vivos e muito bem. O elenco assinara um contrato que os obrigava a sumir da mídia por um ano, para que as cruéis imagens do filme parecessem reais para o público. O realismo que o filme transmite incomoda até hoje.

↓ ASSISTIR NO YOUTUBE ABAIXO  | FILMOW  

3 comentários: