Votação encerrada, o próximo filme será Grotesque! (Resultado) Os outros que ficaram em segundo também podem serem postados. Siga a gente! Os filmes tem limite de visualização mensal, se não consegue ver tenta o próximo mês. IMPORTANTE ⚠️ CAPRICORNUS contém alguns filmes raros, que tiveram legenda sincronizada, outros traduções para o português, enfim deu trabalho pra tá aqui porra! Então vai roubar conteúdo da puta que te pariu sem dar os creditos.

Thanatomorphose (2012)


Diretor: Éric Falardeau
Duração: 90min
País de origem: Canada
Áudio: Ingles | Legenda: Portugues

Thanatomorphose é o primeiro longa-metragem do diretor/roteirista Éric Falardeau e sua trama gira em torno de uma jovem artista (Kayden Rose, em seu primeiro papel em um longa-metragem), que faz esculturas de argila. Ela mora sozinha em seu apartamento e vive uma maré de azar que afeta a sua vida tanto no amor quanto no trabalho. E como desgraça pouca é bobagem ainda namora um junkie que só a procura para ter relações sexuais para, logo em seguida, cair na noite. Para afastar a depressão a garota tenta estabilizar sua vida social trazendo alguns amigos para beber em seu apartamento. Quando acredita que a noite terminaria com um “final feliz” seu senhorio decide intervir e chutar todos os convidados para fora.

A pressão claustrofóbica de viver esquecida, usada e abandonada, só é ampliada quando começam a aparecer estranhas manchas arroxeadas pelo seu corpo. O tempo passa e as contusões começam a se transformar em grandes manchas escuras que logo cobrem a maior parte de seu corpo. Ela começa a ter sonhos psicodélicos onde presencia carcaças fétidas de animais em closes nauseantes e cada vez que acorda sua condição é mais alarmante e precária. Ela está apodrecendo de dentro para fora e, ao invés de ir para um hospital, decide se esconder do mundo exterior.

Ao meu ver, Thanatomorphose flerta com o espectador mais atento em um nível psicossomático. A vida da protagonista é tão vazia que, ao perder o foco de sua arte (talvez a única coisa que atraía a atenção das pessoas), ela entrega-se ao ostracismo e cria uma fantasia onde sua vida começa a definhar. Neste devaneio existe o namorado misógino que a maltrata, os amigos que contam vantagens e o senhorio malvado. No decorrer de sua “decomposição” ela começa a criar novas peças de barro acopladas com alguns órgãos, tecidos e fluídos destituídos de seu próprio corpo, simbolizando claramente uma espécie de reconstrução do Ser. Uma outra explicação (menos chata, hehehehe…) seria que talvez a protagonista sofresse da Síndrome de Cotard (ou delírio niilista é uma rara desordem no qual a pessoa tem a crença de que já está morta, que não existe, que está apodrecendo e perdeu os órgãos internos) um estado avançado de depressão onde alguns dos doentes chegam a perceber o cheiro de sua carne em putrefação ou sentem como os vermes os estão devorando aos poucos.
https://bocadoinferno.com.br/criticas/2013/11/thanatomorphose-2012/

↓ ASSISTIR ABAIXO  | FILMOW | VK

2 comentários: